Amanhã

Ela fechou o livro com um sorriso no rosto. A madrugada a envolvia. Ele assistiu a cena deitado. Ela deitou e se achochegou no peito nu dele.

– Por que você deixa a parte mais interessante do livro para amanhã?

– Porque eu gosto de ficar pensando no que vai acontecer.

– E se não houver amanhã?

Ela se acochegou mais para perto. Sentiu o cheiro dele. Pensou um pouco e respondeu:

– Sempre haverá amanhã.