Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (The Dark Knight Rises)

O lado bom de não ser leitora de quadrinhos é que quando filmes como Batman é lançado, você vai no cinema com expectativa zero. Você não tem a base da historinha na cabeça, você não tem o vilão já grande e assustador na cabeça. Você vai única e exclusivamente assistir um filme no cinema. Sem expectativa alguma em relação: será que o vilão vai ser a altura de como eu imaginei, será que eles vão manter a história tal, será que tal cena vai acontecer como está nos quadrinhos. Não! Não! Não! meus amigos, você vai lá assistir um filme de ação, com um roteiro bacana e ESPETACULAR.

Oito anos após a morte de Harvey Dent, a cidade de Gotham City está pacificada e não precisa mais do Batman. A situação faz com que Bruce Wayne (Christian Bale) se torne um homem recluso em sua mansão, convivendo apenas com o mordomo Alfred (Michael Caine). Um dia, em meio a uma festa realizada na Mansão Wayne, uma das garçonetes contratadas rouba um colar de grande valor sentimental. Trata-se de Selina Kyle (Anne Hathaway), uma esperta e habilidosa ladra que, apesar de flagrada por Bruce, consegue fugir. Curioso em descobrir quem é ela, Bruce retorna à caverna para usar os computadores que tanto lhe serviram quando vestia o manto do Homem-Morcego. Aos poucos começa a perceber indícios do surgimento de uma nova ameaça a Gotham City, personificada no brutamontes Bane (Tom Hardy). É o suficiente para que volte a ser o Batman, apesar dos problemas físicos decorrentes de suas atividades como super-herói ao longo dos anos. by adorocinema

Mas pq o filme é tão legal?! Porque todo mundo ali é gente como a gente. Não tem super poderes, não tem mágica. Todo mundo é humano, com falhas e tentando acertar as coisas.
E com isso o filme tem uma pegada séria e pesada. No começo temos um herói barbudão e derrotado pela vida, já se fazendo todas as perguntas do universo e sem vontade alguma de encontrar as respostas. Mas aí né, você vai lá no cinema assistir para ver como que ele ressurge.

Palmas para: Anne Hathaway, que está linda e conseguindo ser fofa quando as cenas pedem uma pessoa frágil, e depois muda para uma guerreira sem muito esforço. E sem bagunçar o cabelo também =)
E por último e não menos importante assistimos um ator amadurecer. Joseph Gordon-Levitt. Que cresce conforme o filme avança. E é incrível acompanhar esse amadurecimento, um cara que está conseguindo construir fácil personagens tão diferentes. O policial valentão que ele faz aqui, em nada lembra aquele rapaz que tomou um bota em 500 Dias com Ela. Em A Origem e no filme 50%, ele já mostrou que é um bom ator. E tenho a impressão que ele é brincalhão, mas não brinca em serviço. E isso já vale o ingresso, assistir essa transformação, não tem preço.

Trailer:

 

E o Christian Bale continua gostosão?

E como a Summer se sentiu assistindo ao filme e lembrando que deu um fora no Tom:

The Killers – Runaways

E o novo álbum do The Killers chegou! O álbum Battle Born, chega pra colocar um fim ao hiato de mais de quatro anos sem discos inéditos. A primeira música do álbum lançada é: Runaways.
Dizem que é uma pegada meio Sam’s Town. Mas eu também escuto nessa música, muita coisinha do CD solo do Brandon Flowers.
Minha paixão por The Killers só aumenta. E acho que é porque as músicas dos caras, de todos os álbuns, me passam uma sensação muito boa. Claro que assim como a vida, algumas músicas são  pesadas. Mas eles conseguem compensar com muito mais músicas felizes.
E com Runaways não foi diferente. A sensação é boa, é aquela sensação bacana que você quer guardar.

Se Runaways tivesse uma hashtag seria: #estrada ^^

The Killers – Runaways

É música pra cantar junto: http://www.vagalume.com.br/the-killers/runaways.html

E agora vou me expressar no blog somente através de .gif. Achei a ideia revolucionária! Saca só:

The Killers libera a primeira música:

Assistindo o clipe:

Pensamento (de 7 anos) sobre o Brandon Flowers:

E aí… comeu?

Eu sou aquela pessoa que defende o cinema nacional. Mas tem alguns filmes brasileiros que na hora de defender sua honra, eu sou obrigada a ficar em silêncio.
E aí… Comeu? é um desses filmes. Claro que não pode esperar muito de um filme com esse título, mas não imaginava que seria teletransportada para a década de 70 do cinema nacional.
E é nesse estilo que o filme segue. Claro que tem piadinhas que funcionam, mas as que não funcionam ficam ecoando na sua mente e meio que apaga o brilho das piadas que deveriam funcionar.
Lá pra metade do filme eu meio que entendi que se tratava de um filme de homem feito para homem. Aí  eu desliguei meu lado menininha e tentei acompanhar a história pelo ponto de vista masculino e aí o filme começou a fazer um pouco de sentido.
A história é de três amigos Fernando, Honório e Fonsinho. Que sentam na mesa do boteco para falar sobre: sexo e mulheres. E o filme é só isso. E se você amiga, pensa com seu lado meio macho man, você vai entender as sacadas do filme.
E os clichês começam a pipocar na mesma velocidade que o cinemark faz pipoca.
Fernando é o cara que tomou um bota da esposa e agora tenta se reerguer na vida amorosa. Até aí ok, podia até ser uma história legal. Mas entra na jogada, o fetiche da vizinha de 17 anos, gostosinha e cheia de amor pra dá. E que usa todas as suas forças pra alegrar o dia do Fernando.
Honório é o marido que acha que a mulher está pulando a cerca. E a mulher é uma versão que todo homem sonha ter ao seu lado. A versão brother, que fuma, bebe e joga um pôquer como ninguém.
E Fonsinho, o playboy que vive da fortuna do pai, resolve fazer de uma garota de programa a sua mulher. Podia ser um conto de fadas, mas ficou com cara de submissão.
Claro que tem o lance do amadurecimento dos personagens e tal. Mas as coisas são tão superficiais que só se você estiver prestando MESMO atenção, vai se ligar. O que é meio impossível.
Sexo vende, eu sei, você sabe, até a Xuxa sabe. O problema é que é preciso ter um certo equilíbrio. E aí… comeu? não consegue nem chegar perto dessa palavra.

E com isso o único personagem que vale o ingresso é Seu Jorge.

Engraçado é que eu fiquei tão decepcionada com o filme que a única coisa que eu pensava era em outros filmes brazucas excelentes e que me fizeram suspirar pra tela. Filmes como: Estômago, Lisbela e o Prisioneiro e O Homem que Copiava. Filmes que se você se não assistiu, deveria.

Como eu me sinto com algo que me faz rir

Já virou famoso, todo mundo já sabe… tá na boca do povo. Mas eu não me importo, dou risada do mesmo jeito, como fiz da primeira vez que eu abri a página. E é assim, tô precisando rir um pouco, eu digito o seguinte endereço:

http://comoeumesintoquando.tumblr.com/

E pronto, estou lá… rindo sozinha pro monitor.

Meu Top 5 do Como Eu Me Sinto Quando:

…vou matar um inseto mas ele começa a voar.

…me perguntam sobre a minha série favorita.


…aparece uma pop up falando que eu fui a “milionésima pessoa a abrir o site” e que eu acabo de ganhar um prêmio.

Eu:

A tia crente:

…depois que cantam parabéns em festa de criança.

…atendente de call center transfere minha ligação pela quinta vez.

Créditos:

http://comoeumesintoquando.tumblr.com/post/25441124148/vou-matar-um-inseto-mas-ele-comeca-a-voar
http://comoeumesintoquando.tumblr.com/post/25523055337/depois-que-cantam-parabens-em-festa-de-crianca
http://comoeumesintoquando.tumblr.com/post/25433076646/me-perguntam-sobre-a-minha-serie-favorita
http://comoeumesintoquando.tumblr.com/post/25289178304/atendente-de-call-center-transfere-minha-ligacao
http://comoeumesintoquando.tumblr.com/post/25162978043/aparece-uma-pop-up-falando-que-eu-fui-a-milionesima