The Killing

The Killing é aquele tipo de série que não tem pressa, o caso por semana de alguma outra série, aqui se desenrola durante a temporada inteira.  E é assim que funciona, cada episódio é um dia de investigação.
A série se passa na adorável Seattle. E é naquele clima cinza, sufocante e chuvoso que assistimos o desenrolar de um assassinato.
A narrativa é dividida em três focos: as investigações da polícia, a dor dos pais da vítima e o dia a dia dos principais suspeitos.
Mas acima de tudo a série é sobre pessoas. É tão sobre pessoas que às vezes o assassinato fica em segundo plano e você acompanha não somente a evolução da investigação, mas a transformação das pessoas envolvidas nesse caso.

Partindo do desaparecimento de uma adolescente que acaba sendo encontrada morta, eles construíram uma trama minuciosa, cuidadosa e completamente viciante, com a história de dois policiais que, sem nenhum glamour nem laboratório avançado de perícia nem frases de efeito nem grandes sacadas espertinhas, vão investigando – e errando e acertando – as pistas obscuras que envolvem os colegas, os pais, os professores de Rosie Larson; a história da família da menina desaparecida que começa a desmoronar depois da tragédia; a campanha de um candidato a prefeito de Seattle, a cujo escritório pertencia o carro em que o corpo foi achado, e que mesmo sem nenhuma outra ligação aparente com o caso se vê intimamente ligada à investigação.
by legendado

Todo mundo tem um passado, todo mundo tem um segredo e tudo isso vai meio que influenciando a investigação e a todos.
Sarah Linden, a investigadora principal, tem um passado meio obscuro. Ela já teve um caso parecido que não conseguiu solucionar e que a assombra. Holder é seu parceiro, ex-viciado e que você acha que a qualquer momento vai estragar tudo.
Stan Larsen é o pai de Rosie e é de longe o personagem que mais sofre, e com isso é o personagem mais interessante de assistir da série. Mitch, mãe de Rosie (quem interpreta é Michelle Forbes, que saiu malucona de True Blood e continua malucona em The Killing).
E temos os principais suspeitos que envolvem um candidato à prefeito, a dona de um cassino e velhos conhecidos de Stan Larsen.

A série está na segunda temporada, e tem a abertura mais hipnotizante de todos os tempos:

Anúncios

sou toda ouvidos!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s