Surpresas do Coração (French Kiss)

Kate: Of course you know him. All you bastards know each other.

Anúncios

Pearl Jam Twenty

Eu andei pensando muito em como escrever esse texto. E oiá pra falar a verdade eu já escrevi vários, aí lá pro meio eu leio e penso: Ah tá um bosta, não vou postar.
Porque eu realmente queria que você meu leitor (a) lesse isso aqui e corresse para a locadora, um site bacana, loja, loja virtual, galeria do rock e etc.
Só que aí eu não sei por onde começar pra te convencer a fazer isso. Porque quando eu me empolgo com uma coisa eu falo falo falo tudo junto, tudo rápido… vira uma bagunça, vc não entende absolutamente nada e desiste.
Mas vamos lá. Juntaram duas coisas que eu mais amo num documentário. Ok juntaram 3 coisas que eu mais adoro num documentário. Juntaram… continuando.
Cameron Crowe o meu diretor favorito nesse mundo todo e a minha banda favorita nesse mundo todo. (e todo mundo que me conhece acha que a minha banda favorita é The Killers). Minha banda favorita é Pearl Jam. E Cameron Crowe é a minha pessoa favorita. Eddie Vedder também. Jeff Ament também.
E tá tudo isso junto num documentário, feito com tanto carinho que você passa o tempo todo querendo fazer parte de tudo aquilo. Juro, queria ser até groupie roadie daquela parada.
Super bem feito e super bem amarradinho. E quando você começa a ver a sua banda se transformar no que ela é hoje. Como tudo começou, os tropeços, os acertos, os erros, as brigas, os puxões de orelha do Kurt Cobain, a briga com a ticketmaster, as amizades, o significado de algumas músicas e tudo mais. Você acaba conhecendo um pouco de quase tudo e um pouco de cada um.
Você se arrepia, pq vc começa a se sentir parte daquela família.
E Cameron Crowe conseguiu com entrevistas e imagens de arquivos, algumas bastante raras, contar uma história incrível.
Por isso eu falo, se vc chegou até aqui. Mesmo não conhecendo a banda, mesmo só conhecendo algumas músicas. Assista esse documentário.

Cupcake Gourmet de Cappuccino

Eu meio que não tenho uma opinião formada sobre cupcake. Uma pq eu acho que eu só comi dois até hj. E um foi lembrançinha de aniversário e tava bem ruim. Então na minha cabeça cupcake nada mais é que aquele bolinho da panco com  uma cobertura chique.
Ai que eu peguei uma revistinha que tinha uma receita de cupcake e que parecia ser extremamente fácil de fazer.
E é fácil mesmo de fazer, eu que não curtia muito receitas com vários levels do tipo: faz massa, faz recheio, espera recheio esfriar, recheia os bolinhos, faz cobertura e por ai vai. Achei super rápido. Acho que fiz em uma hora tudo isso. Então além de fácil, é rápido.
Dei uma tropeçada na medida da canela, eu não tinha cappuccino em pó e trapaceei na parada da manteiga hauhauhau. Mas no fim deu tudo certo.

Vem comigo que eu vou ensinar. Lápis e papel na mão amiguinhas!!!

Ingredientes:
Massa
1/2 xícara(chá) de açúcar
4 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de margarina
1 ovo
1/3 xícara (chá) de leite
1 colher (sopa) de essência de baunilha
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher  (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de café solúvel dissolvido
1 colher (café) de canela em pó

Recheio (vai virar um brigadeiro de café^^)
1/2 xícara de leite condensado
1 colher (sopa) de chocolate em pó com 50% de cacau (o famosinho chocolate do padre)
1 colher (chá) de café solúvel

Cobertura
100 ml de creme de leite de caixa
200g de chocolate branco
1 colher (sopa) de mistura pronta para cappuccino

Decoração
Confeitos coloridos de sua preferência

Modo de Preparo
Massa:
Coloque na vasilha da batedeira o açúcar, a manteiga, a margarina, a gema do ovo, metade do leite e a essência de baunilha. Bata até virar um creme mais claro. Junte intercalando, a farinha de trigo peneirada e o restante do leite, mexendo delicadamente com uma espátula. Coloque o fermento em pó peneirado e misture. Acrescente o café e a canela. Por último, a clara batida em neve. Misture bem.
Distribua em partes iguais entre dez forminhas para cupcakes e asse em forno médio por 15 min ou até que, ao espetar um palito, ele saia limpo.
Recheio: Faça um brigadeiro mole com o leite condensado, o chocolate e o café solúvel. Espere esfriar e faça buracos no topo de cada cupcake, centralizados, tirando uma pequena parte do bolo e deixando um tampo para fechar. Coloque o recheio em cada cupcake e feche com a tampa.
Cobertura: Leve ao fogo o creme de leite e deixe esquentar um pouco. Acrescente o chocolate picado mexendo até derreter. Transfira para a geladeira e deixe por dez minutos para ficar mais firme. Coloque em um saco para confeitar, com um bico de sua preferência, e faça um caracol ( ou outro formato) sobre cada cupcake. Polvilhe o cappuccino em pó por cima e decore com confeitos.
Dica: Se preferir, varie a receita e use chocolate escuro ou chantilly na cobertura dos cupcakes. Você também pode adicionar gotas de chocolate à massa.

Indo para o forno.
Saindo do Forno
Todos prontos e super coloridos ^^ Ignoramos o fato da cobertura não ter ficado exatamente um caracol! #dificil

Receita da revistinha da Ana Maria.

Para cozinhar ouvindo: Violent Femmes – Blister in The Sun

Parenthood

Eu peguei uma sequência de filmes muito sérios no final do ano. Ai que eu decidi que eu precisava de uma série leve pra compensar.
Tinha abandonado Bored to Death na segunda temporada. Precisava começar a terceira, mas não lembrava muito bem da segunda. Ai peguei pra rever o último episódio pra lembrar e tal da segunda temporada, mas não era aquele tipo de série que eu queria. Eu amo Jason, mas no momento eu queria outra coisa.
Bom eu tinha assistido o filme Minha Mãe Quer Que Eu Case e com isso lembrei que Lauren Graham era legal. E queria assistir a moça outra vez na telinha. Mas eu não suporto muito Gilmore Girls. Quer dizer até suporto uns 3 episódios e só.
Ai que eu já tinha pegado alguns pedaços de Parenthood na TV. Sabe quando você está mudando freneticamente de canal e ai para um pouquinho, mas como eu odeio spoiler de série eu nunca assistia mais que 5 min do episódio.
E puxei alguns episódios da primeira temporada de Parenthood e quando fui ver eu já estava puxando a temporada inteira, assistindo episódios um atrás do outro e com isso me apaixonando cada vez mais por todos os Braverman.

Parenthood é uma série baseada no filme de mesmo nome, lançado em 1989, protagonizado por Steve Martin e Dianne Wiest. A série conta a história dos Braverman, uma família que, como qualquer outra, enfrenta diversos problemas, mas sempre pode contar com o apoio de cada membro para superar os desafios.   Sarah é uma mãe solteira com dois filhos adolescentes que decide voltar para sua cidade natal e ficar mais próxima de sua grande família. De volta a seu verdadeiro lar, Sara é recebida por seus pais, Zeek e Camille, que, por sua vez, estão enfrentando seus próprios problemas matrimoniais.   Sara ainda tem uma irmã mais nova, uma mulher batalhadora que luta para mainter seu emprego como advogada, suas atividades como mãe e o apoio ao marido, que trabalha em casa, cuidando da filha. O caçula da família é Crosby, um jovem que precisa enfrentar seus medos de compromissos amorosos, quando uma antiga paixão reentra em sua vida.   A família também conta com o irmão mais velho, Adam que, agora mais do que nunca, precisa se unir aos filhos e esposa, pois acaba de descobrir que seu filho mais novo Max tem Síndrome de Asperger.   Apesar das dificuldades que cada núcleo da família precisa enfrentar, a reunião de todos é o que os ajuda a superar os desafios, enquanto criam seus filhos e recomeçam suas vidas.

Tá se você leu isso aí e não se interessou, dê uma chance! A série é realmente muito boa. E tem uma trilha sonora absurdamente linda.
Sou apaixonada por todos, mas no meu top estão: Amber, Sarah, Crosby, Jabbar e Mamãe Braverman.

Não te convenci ainda é?! Dê uma olhada na abertura da série:

 

O que você estão fazendo por aqui ainda? Vão assistir Parenthood!!!
#ferris bueller day off